Ministério Publico do Estado de Mato Grosso

REDE PROTEGE

MPMT lança cartilha com protocolo e fluxos de atendimento a crianças e adolescente vítimas de violência sexual

por ANA LUÍZA ANACHE

quarta-feira, 08 de maio de 2019, 13h57

No mês em que se comemora o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes – 18 de Maio, o Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) lançou uma cartilha com protocolo e fluxos para atendimento a essas vítimas em Várzea Grande. O material foi apresentado nesta quarta-feira (8 de maio), em evento realizado no Centro Universitário Univag. A tiragem inicial é de mil exemplares, que serão distribuídos em creches, escolas, secretarias municipais e postos de saúde.
 
A cartilha foi elaborada em conjunto por instituições integrantes da Rede Protege – Articulação Intersetorial da Infância e Adolescência de Várzea Grande, Rede de Territórios Educativos de Várzea Grande, Projeto Fortalecer, Univag e Prefeitura Municipal, com objetivo de fortalecer a atuação em rede, estabelecer um padrão de atendimento às vítimas e dar maior efetividade a políticas públicas.

“O material produzido em conjunto por diversas instituições é bastante didático, apresenta conceitos fundamentais, detalha a competência bem como o fluxograma de cada órgão. Isso ajudará muito a comunidade, pais e professores a compreender o funcionamento da rede de proteção”, destacou o procurador-geral de Justiça do Estado, José Antônio Borges Pereira. Conforme o chefe do MPMT, trata-se de um importante passo para o fortalecimento da rede de proteção. “Vamos em frente!”, conclamou na abertura do evento.

Representante da Prefeitura Municipal, a secretária de Assistência Social de Várzea Grande, Flávia Luíza Coelho de Lannes declarou estar orgulhosa do trabalho desenvolvido ao longo do último ano, que culminou com a publicação do protocolo e dos fluxos de atendimento. “Parabéns a toda a equipe da Rede Protege que, se hoje é sólida, é porque teve boa vontade, foco e determinação. E agora coroamos esse trabalho com a cartilha”, afirmou, acrescentando que o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes é preocupação tanto do poder público quanto da sociedade como um todo.

O promotor de Justiça José Mariano de Almeida Neto, que esteve à frente dos trabalhos no início e atualmente coordena os Centros de Apoio Operacional, demonstrou gratidão a todos que contribuíram com a iniciativa. “Estou grato pelo trabalho coletivo de cada um dos atores e instituições envolvidos, que entenderam o propósito de um bem maior que é a proteção da criança e do adolescente. Quem tem a ganhar é o Município de Várzea Grande, mas saibam que esse ainda é o primeiro passo”, enfatizou.

A defensora pública Cleide Regina Nascimento parabenizou o MPMT pela iniciativa e ressaltou que estando bem formada, fortalecida e instrumentalizada, a rede poderá  ajudar cada vez mais as crianças e adolescentes. “Trabalhamos todos os dias com a essência da violência e, quando sabemos para onde encaminhar aquela criança, que chega até nós totalmente despedaçada, em todos os sentidos, nos deixa mais tranquilos por saber que ela terá um acolhimento de qualidade”, concluiu.
 
Participaram do lançamento do protocolo e dos fluxos o procurador da Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente, Paulo Roberto Jorge do Prado, o promotor de Justiça da 2ª Promotoria de Várzea Grande, Douglas Lingiardi Strachicini, o secretário adjunto de Assistência Social do Estado, Aguinaldo Garrido, o delegado da Especializada da Mulher, Criança e Idoso, Cláudio Alvares Santana, o diretor dos cursos da área de saúde do Univag, professor Jorge Eto, representantes do Conselho Tutelar, do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, entre outras autoridades.
Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo