Ministério Publico do Estado de Mato Grosso

GAZETA

Denúncia é recebida contraos dois grupos criminosos

quinta-feira, 11 de julho de 2019, 10h28

ANDRÉIA FONTES
DA EDITORIA

Justiça recebe denúncias contra acusados  de  integrarem  duas  orga-nizações  criminosas  que  disputa-vam território do jogo do bicho em Mato Grosso. A primeira é o grupo Colibri  que,  de  acordo  com  o  Mi-nistério  Público,  é  liderado  por  João  Arcanjo  Ribeiro  e  seu  genro,  Giovanni Zem Rodrigues. A segun-da  é  a  FM  ELLO,  que  tem  como  líder  o  empresário  e  Comendador  Frederico   Müller   Coutinho.   Ao   todo  são  33  acusados,  presos  na  operação  Mantus,  deflagrada  no  dia  29  de  maio  deste  ano,  e  que  agora  passam  a  responder  pelos  crimes  de  organização  criminosa,  lavagem de dinheiro, contravenção penal  do  jogo  do  bicho,  extorsão  e  extorsão mediante sequestro.

Juiz  da  7ª  Vara  Criminal,  Jorge  Luiz  Tadeu  Rodrigues,  manteve  as  prisões  de  12  dos  14  envolvidos  com  Arcanjo.  Na  decisão  destacou  que  as  prisões  foram  autorizadas  com  o  objetivo  de  resguardar  a  ordem pública e garantir instrução processual  penal,  devido  o  perigo  dos  acusados  soltos.  Enfatiza  que  as informações coletadas durante a deflagração da operação apontaram que a “organização criminosa iden-tificada  como  Colibri  se  vale  de  práticas  violentas,  como  extorsão  mediante  sequestro,  ameaças,  para  manter  monopólio  da  região  co-mandada,  estabelecendo  uma  ver-dadeira concorrência entre as orga-nizações  na  manutenção  dos  pon-tos de jogos, bem assim, na aquisi-ção de novos pontos”.

Também  foi  destacado  no  des-pacho os materiais e dinheiro apre-endidos  no  cumprimento  dos  30  mandados  de  busca  e  apreensão.  Na  cada  de  Arcanjo  e  Giovanni  Zem, por exemplo, foram apreendi-dos mais de R$ 200 mil que, segun-do o ex-comendador, era para paga-mento  de  despesas  primárias.  No  quarto  de  Giovanni,  foram  apreen-didos materiais utilizados na práti-ca  do  jogo  do  bicho,  como  plani-lhas  de  controle  financeiro,  sendo  cada planilha referente a uma cida-de do norte do Estado.Documentos  que  comprovam  o  envolvimento com a prática do jogo do  bicho  também  foram  apreendi-dos  nas  casas  de  Mariano  Oliveira  da Silva, apontado como gerente da organização  no  Norte  do  Estado,  e  de  Agnaldo  Gomes  de  Azevedo,  gerente  em  Tangará  da  Serra.

  Na  casa   de   Azevedo,   também   foi   apreendido  extrato  de  conta  ban-cária  em  nome  de  Giovanni  Zem  de carne de IPTU de Várzea Gran-de, tendo como contribuinte João Arcanjo Ribeiro, além de notas de compras em nome de Colibri Pala-ce Hotel.Além  de  comprovantes  de  de-pósitos, com abreviação de “M.O”, também foi apreendido na casa do gerente  da  região  Norte  caderno  contendo controle de arrecadação do  jogo  do  bicho  em  diversas  ci-dades,  citando  nomes  de  respon-sáveis por máquinas. As panilhas são  semelhantes  às  encontradas  com Giovanni Zem.A  reportagem  não  teve  acesso  à decisão sobre ao grupo de Frede-rico Müller.

Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo