Ministério Publico do Estado de Mato Grosso

GAZETA

MP denuncia deputados e prefeito

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019, 11h30

PABLO RODRIGO
DA REDAÇÃO

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), o deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), e mais 11 pessoas entre ex-deputados, servidores da Assembleia e empresários, foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) por um esquema de fraudes no pagamento de verbas indenizatórias entre 2012 e 2015, causando prejuízo de até R$ 600 mil aos cofres públicos do Estado. A denúncia tem por base as investigações do Núcleo de Ações de Competência Originária - Naco Criminal e do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), que culminaram na Operação “Dejá vú” em agosto do ano passado.

Na época, o Gaeco cumpriu mandados de busca e apreensão na Assembleia e nos gabinetes dos envolvidos. Os promotores afirmaram na época que a medida judicial foi necessária em razão dos gestores da Assembleia terem se recusado a entregar os documentos, alegando que não tinham encontrado nada relativo ao assunto. O esquema consistiria no fornecimento de notas fiscais falsas para simular a aquisição de materiais de papelaria e insumos de informática, em troca do pagamento de 10% sobre o valor nominal de cada nota. Estão envolvidas as empresas GB de Oliveira Comércio ME, HC da Costa Campos e Cia Ltda ME, VPS Comércio ME e VH Alves Comércio ME.

Dessas empresas, somente a H.C da Costa Campos existiria de fato. Além de Botelho, Nininho e Pinheiro, também foram denunciados os ex-deputados Zeca Viana (PDT), José Riva e Wancley Carvalho (PV) , os empresários e servidores Hilton Carlos da Costa Campos, Vinícius Prado Silveira, Geraldo Lauro, Ivone de Souza, Renata do Carmo Viana Malacrida, Tschales Franciel Tschá, Camilo Rosa de Melo e Ricardo Adriane de Oliveira. Segundo a denúncia, foram apuradas 89 notas fiscais “frias”. Com zeca Viana foram constadas 23 notas, equivalente a R$ 149.545,00; com Ondanir Bortolini, 16 notas no valor de R$ 93.590,35; com Emanuel Pinheiro foram 13 notas, no valor de R$ 91.750,69; com José Geraldo Riva, oito notas fiscais no valor R$ 56.200,10; com Wancley Charles Rodrigues de Carvalho, duas notas no valor R$ 11.252,00; e com José Eduardo Botelho, uma nota fria no valor de R$ 7.143,00.

Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo