Ministério Publico do Estado de Mato Grosso

GAZETA DIGITAL

MP pede prisão de cabo

quinta-feira, 18 de outubro de 2018, 11h26

KARINE MIRANDA
REPÓRTER DO GD

O Ministério Público Estadual (MP) apresentou novo pedido de prisão do cabo da Polícia Militar Gerson Corrêa Júnior. Réu na ação penal que investiga o esquema de interceptações telefônicas ilegais que ficou conhecido como Grampolândia Pantaneira, Gerson confessou ter frequentado uma casa noturna em Cuiabá, descumprindo medida cautelar imposta pela Justiça. De acordo com o MP, o cabo esteve no Malcom Pub entre 1h49 e 2h52 do último dia 30 de agosto. Dados biométricos, além de um cadastro de clientes e a comanda da casa noturna foram apresentados como prova.

Em um primeiro momento, Gerson negou a ida até a casa noturna, mas acabou confessando ter saído de casa em horário proibido. Ele disse que foi buscar a esposa, após um desentendimento entre o casal. No pedido de prisão, o promotor de Justiça Allan Sidney do Ó Souza classificou como “absolutamente grave” a defesa apresentada pelo militar, uma vez que ele foi “capaz de forjar novas provas e arquitetar uma trama de mentiras, a fim de esquivar-se de eventual responsabilização pelo descumprimento das medidas”.

“Certamente não se espera que a segunda versão apresentada pelo requerido, concernente em um problema conjugal seu (que não nos diz respeito), seja plausível a ponto de invocar-se uma desconsideração de todo o ocorrido, atribuindose a um mero contratempo”, escreveu o promotor, para quem restou “clarividente” a intenção do cabo da PM em descumprir as medidas cautelares. O requerimento do Ministério Público ainda será analisado pelo juiz responsável pelo caso, Murilo Mesquita. @karine@gazetadigital.com.br

Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo