Ministério Publico do Estado de Mato Grosso
empty

GAZETA

Drones vão fiscalizar pleito

segunda-feira, 08 de outubro de 2018, 14h39

DA REDAÇÃO

Compra de votos, derrame de santinhos nos locais de votação, transporte irregular de eleitores e boca de urna estão entre as principais condutas que serão objeto de investigação no domingo (7), dia das eleições, pelo Ministério Público. Em todo Estado, promotores eleitorais estão trabalhando em sintonia para circular nas seções eleitorais e registrar qualquer irregularidade. Em Cuiabá, drones do projeto “Água para o Futuro”, desenvolvido pelo Ministério Público Estadual (MPE), serão utilizados como reforço na fiscalização. “O VAN (Veículo Aéreo Não Tripulável) executará uma missão pré-determinada em que serão realizadas filmagens por câmeras de alta resolução acopladas aos quadricópteros a uma altura que possibilitará a identificação de veículos e pessoas”, explicou o coordenador do projeto, promotor de Justiça Gerson Barbosa.

Os cidadãos também exercem papel fundamental para o sucesso da fiscalização. Qualquer pessoa que presenciar a ocorrência de condutas vedadas pela Justiça Eleitoral pode registrar o fato e encaminhar a denúncia para os órgãos competentes. De acordo com procuradora regional Eleitoral, Cristina Melo, no MPF haverá sala de atendimento ao cidadão para o recebimento de denúncias. “Todas as pessoas que querem eleições mais limpas podem contribuir. É possível, inclusive, guardar o sigilo do denunciante, mas o fato noticiado deve trazer os elementos necessários para a identificação do responsável pela conduta irregular.

Existem ainda os aplicativos, a exemplo do Pardal, para encaminhamento de denúncias”. O promotor de Justiça Eleitoral, Miguel Slhessarenko Júnior, destaca que existe uma força-tarefa desde o início do ano atuando em prol das eleições. Procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo enfatiza que, em todo o Estado, os promotores estão empenhados em contribuir para assegurar que o processo democrático ocorra com lisura. “Esperamos que neste domingo a vontade expressada nas urnas prevaleça e seja aceita por toda a população de forma pacífica”. (Com informações da assessoria)

Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo