Ministério Publico do Estado de Mato Grosso
empty

GAZETA

Deputados se tornam réus por desvio

sexta-feira, 24 de agosto de 2018, 11h42

KARINE MIRANDA
REPÓRTER DO GD

Por unanimidade, o Pleno do Triunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) recebeu, nesta quinta-feira (23), denúncia contra os deputados Romoaldo Junior (MDB), Mauro Savi (DEM) e Gilmar Fabris (PSD) por suposto desvio de R$ 9,4 milhões da Assembleia Legislativa entre 2013 e 2014. A ação penal é oriunda da Operação Ventríloquo, deflagrada em 2015. Conforme o Ministério Público Estadual, a Assembleia Legislativa contratou um seguro junto ao antigo Bamerindus na década de 1990, porém, não quitou os valores devidos. Após a Seguradora vencer ação de execução, em 1997, o Parlamento teria mantido acordo direto e irregular com o advogado da instituição financeira, Joaquim Fábio Mielli Camargo. Nesta negociação, o valor da dívida, calculado em R$ 9,4 milhões, teria sido superfaturado. Os deputados acusados teriam homologado o pagamento mediante “retorno”.

A organização criminosa teria tido o apoio do ex-deputado José Riva e de servidores. O esquema só veio à tona após Joaquim Fábio Mielli e o acusado de ser operador do esquema, Júlio César Domingues, firmarem acordo de delação premiada. Relator do caso, o desembargador Rondon Bassil Dower Filho, apontou que depoimentos de servidores demonstram a autoria e materialidade da acusação, trazendo detalhes de reuniões para a partilha do recurso desviado e emissão de cheques com o objetivo de “lavar” o dinheiro. Além dos parlamentares, se tornam réus José Antonio Lopes, Ana Paula Ferrari Aguiar, Claudinei Teixeira Diniz, Marcelo Henrique Cini, Cleber Antônio Cini, Valdir Daroit, Leila Clementina Sinigaglia Daroit, Odenil Rodrigues de Almeida e Edilson Guermandi de Queiroz.

Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo