Seu navegador não suporta javascript!
Ministério Público do Estado de Mato Grosso
Página Inicial
 
Intranet
Acessar Intranet
MP na Mídia
22.11.17 09h52
MP pede alterações na concessão de incentivos fiscais no Estado
31.10.17 13h17
MP investiga gastos com fardamentos
31.10.17 13h14
MP marca audiência para resolver problema de som alto
20.10.17 10h09
Polícia prende assaltantes de residências
20.10.17 10h06
Valdir Piran se livra de tornozeleira

Mais MP
Intranet
Acessar
Tamanho A A
RECURSO DE APELAÇÃO

Ex-prefeito de Alto Paraguai é condenado por improbidade administrativa

Por JANÃ PINHEIRO
Quarta, 17 de maio de 2017, 09h16

O ex-prefeito de Alto Paraguai (200 km de Cuiabá), Alcenor Alves de Souza, foi condenado pela Justiça, por diversos atos de improbidade administrativa, relacionados ao exercício de 2002. O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 2ª Promotoria de Justiça Cível de Diamantino, ingressou com recurso junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso que, por unanimidade, deu provimento a apelação.

Dentre os atos de improbidade administrativa imputados ao ex-prefeito estão: emissão de cheques sem provisão de fundos; despesas com obras sem o devido processo licitatório, pagamento de diárias de forma incorreta e sem comprovantes; Inobservância do Patamar mínimo para o custeio da Educação e da Saúde, além de fragmentação de despesas para evitar o procedimento licitatório e quadro de pessoal com 50% de contratados.

Conforme o MP, as irregularidades ocorridas durante o período que esteve à frente da administração (2001/2004), mais especificamente quanto às contas do exercício de 2002, foram detectadas pelo Tribunal de Contas do Estado que emitiu o Parecer nº 050/2003, pela rejeição das contas. Ao todo, o TCE detectou mais de 30 irregularidades/ilegalidades cometidas pelo ex-prefeito.

“O dolo genérico se consubstancia na vontade de não cumprir o que determina a Constituição Federal, pois cometeu 36 irregularidades de natureza grave. Não passaria de mero enfeite o dispositivo constitucional. Portanto, está configurada a conduta dolosa por se conduzir contra o determinado pelas normas”, destacou em seu voto a desembargadora/relatora Nilza Maria Pôssas de Carvalho.

Com o trânsito em julgado da referida decisão, os direitos políticos do ex-prefeito foram suspensos por cinco anos. Ele ainda está proibido de contratar com o Poder Público pelo prazo de três anos, além de ter que pagar multa calculada no valor de R$ 170.732,64, e o ressarcimento do dano causado ao Município de Alto Paraguai, estimado em R$ 6.757.051,79, em valores atualizados e ainda sujeita à liquidação.

Com o objetivo de executar as penas, a 2ª Promotoria de Justiça de Diamantino ingressou com o pedido de execução das penas e de liquidação do dano ao erário municipal.

 
Compartilhe nas redes sociais
e-mail facebook twitter


Confira também:
22.11.17 17h38 » Conselho Superior do Ministério Público divulga lista de inscritos
22.11.17 08h06 » Operação Deriva II já contabiliza multas de R$ 2,9 milhões e 23 aeronaves interditadas
21.11.17 16h52 » FESMP abre processo eleitoral para escolha de novo diretor-geral
21.11.17 16h46 » Promotores de Justiça e juízes de Direito definem propostas para agilizar a adoção em Mato Grosso
21.11.17 14h54 » Liminar concedida ao MPE determina indisponibilidade de bens de presidente do Sindicato Rural
21.11.17 09h42 » Ministério Público Estadual lança “Carta de Serviços” ao Cidadão
20.11.17 09h15 » MPE propõe ações contra 220 invasores de Áreas de Preservação Permanente em Cuiabá
17.11.17 10h57 » MPE doa veículos, móveis e equipamentos de informática para Conselhos Tutelares de Cuiabá
17.11.17 10h35 » Conselho Superior do Ministério Público divulga três novos editais
16.11.17 10h36 » MPE notifica município para que defina regras referentes à autuação de atos infracionais e de indisciplina cometidos por alunos
16.11.17 10h35 » MPE pede e Justiça indisponibiliza bens de fazendeiro por crime ambiental
14.11.17 15h48 » MPE, Vigilância Sanitária e parceiros realizam operação e interditam comunidade terapêutica
14.11.17 10h50 » MP/MT adere ao Sistema de Localização e Identificação de Desaparecidos
14.11.17 09h40 » MPE entra com ação pedindo a demolição de muros e guarita em 4 ruas do Jardim Itália
14.11.17 08h29 » MPE notifica Município e CONSEG a não utilizar verbas públicas para pagamento de aluguel a Delegado e Policiais





youtube facebook facebook RSS








Galeria de Fotos
Mais Fotos
Entrevistas
Entrevistas
Buscar
Agenda e Eventos
Encontro Estadual do Ministério Público e Movimentos Sociais
Data: 30.11.2017
Informações: (65) 3613-5282
Regularização Fundiária Urbana: quadro atual e perspectivas a partir da Lei 13.465/2017
Data: 30.11.2017 - 01.12.2017
Informações: (65) 3613-5285
I Mostra Estudantil de Teatro
Data: 05.12.2017
Informações: (66) 3401-5276
Mais Agenda

Defender o regime democrático, a ordem jurídica e os interesses sociais e individuais indisponíveis, buscando a justiça social e o pleno exercício da cidadania.

» A Instituição » Teclas de Atalho » Corregedoria-Geral
» Acessibilidade » Projetos » Controle Interno
» Concursos » Departamentos » Gestão Ambiental - MP Sustentável
» Legislação » Licitações » Links
» Lotacionograma » Notícias » Órgãos Auxiliares
» Planejamento Estratégico » Portal Transparência » Procuradorias de Justiça Especializadas
» Publicações DOE » Todos Contra as Drogas » Terceiro Setor

Procuradoria Geral de Justiça

Rua Quatro, s/nº

Centro Politico e Administrativo - Cuiabá/MT

CEP: 78049-921

Fone: (65) 3613-5100


Sede das Promotorias de Justiça da Capital

Av. Desembargador Milton Figueiredo Ferreira Mendes, s/nº

Setor D - Centro Politico e Administrativo - Cuiabá/MT

CEP: 78049-928

Fone: (65) 3611-0600

Horário de atendimento ao público externo e protocolo: 08h às 18h

Ministério Público do Estado de Mato Grosso - Procuradoria Geral de Justiça