Seu navegador não suporta javascript!
Ministério Público do Estado de Mato Grosso
Página Inicial
 
Intranet
Acessar Intranet
MP na Mídia
21.07.17 11h09
CUIABÁ URGENTE
21.07.17 11h06
Perícia vai indicar responsáveis pelo despejo de esgoto em lagoa
21.07.17 10h56
Ex-aluno afirma que desistiu para não ser morto por Ledur
20.07.17 10h13
MPE denuncia 6 militares e pede a prisão de Ledur
20.07.17 10h09
Silval deu ordem para desvio

Mais MP
Intranet
Acessar
Tamanho A A
DIÁRIO DE CUIABÁ

Juíza nega revogar prisão domiciliar de acusados

Sexta, 19 de maio de 2017, 10h28

Da Reportagem

A juíza substituta da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes, negou pedido para revogar a prisão domiciliar do ex-secretário de Educação, Permínio Pinto (PSDB) e do empresário Giovani Guizardi. A decisão foi dada no dia 12 deste mês nos autos da ação penal relativa a Operação Rêmora deflagrada em 2016 pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Ambos foram presos no ano passado pela suspeita de integrarem uma organização criminosa que agia para fraudar licitações e cobrar propina de empreiteiras para favorecê-las em contratos com a administração pública. Após confessarem os crimes em depoimento à juíza Selma Arruda, ambos foram remetidos a prisão domiciliar que é considerada imprescindível pela juíza Ana Cristina Silva Mendes.

“Verifico a necessidade da manutenção das custódias cautelares para garantir a ordem pública e, ainda, como meio de garantir que o sentimento de impunidade não sirva como mola propulsora para a reiteração criminosa”, diz um dos trechos da decisão. Pelas investigações, as empreiteiras que prestavam serviços de construção e reforma de unidades escolares tinham que pagar uma propina variável de 3% a 5% para receber pelos serviços prestados.

Na lista de denunciados está o ex-assessor especial Fábio Frigeri e os ex-superintendentes de Infraestrutura Escolar, Wander Luiz dos Reis e Moisés Dias, e o empresário Giovani Guizardi. O ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto (PSDB), que deixou o cargo após o escândalo, não foi denunciado. Também foi denunciado o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Moisés Feltrin, atualmente empresário do ramo da construção civil.

A relação de denunciados se completa com os empresários Luiz Fernando da Costa Rondon, Leonardo Guimarães Rodrigues, Joel de Barros Fagundes Filho, Esper Haddad Neto, José Eduardo Nascimento da Silva, Luiz Carlos Ioris, Celso Cunha Ferraz, Clarice Maria da Rocha, Eder Alberto Francisco Meciano, Dilermano Sérgio Chaves, Flávio Geraldo de Azevedo, Julio Hirochi Yamamoto Filho, Sylvio Piva, Mário Lourenço Salem, Alexandre da Costa Rondon, Benedito Sérgio Assunção e Leonardo Botelho Leite. Todos formaram um cartel para ser favorecidos com dinheiro de obras da Secretaria de Educação, ainda que não fossem vencedoras em determinada licitação.


 
Compartilhe nas redes sociais
e-mail facebook twitter


Confira também:
21.07.17 11h09 » CUIABÁ URGENTE
21.07.17 11h06 » Perícia vai indicar responsáveis pelo despejo de esgoto em lagoa
21.07.17 10h56 » Ex-aluno afirma que desistiu para não ser morto por Ledur
20.07.17 10h13 » MPE denuncia 6 militares e pede a prisão de Ledur
20.07.17 10h09 » Silval deu ordem para desvio
20.07.17 10h08 » Juiz dá prazo para Estado e Consórcio atenderem MP
19.07.17 11h20 » MP denuncia Zaqueu e mais 4 PMs
19.07.17 11h15 » Curvo vai recorrer de decisão
19.07.17 11h11 » MP denuncia 5 militares por escutas ilegais
18.07.17 11h28 » Policlínica deve ser reaberta
12.07.17 10h35 » Vagas reduzem 54% em 6 anos e prender é exceção
12.07.17 10h19 » Curvo defende mudança em proposta
12.07.17 10h17 » Governo tem 180 dias para terminar obra
10.07.17 11h08 » Polícia encontra madeira ilegal
10.07.17 11h04 » Centros odontológicos devem ser reformados





youtube facebook facebook RSS







Galeria de Fotos
Mais Fotos
Entrevistas
Entrevistas
Buscar
Agenda e Eventos
VII Encontro Estadual sobre o Tribunal do Júri
Data: 17.08.2017 - 18.08.2017
Informações: (65) 3613-5174
Mais Agenda

Defender o regime democrático, a ordem jurídica e os interesses sociais e individuais indisponíveis, buscando a justiça social e o pleno exercício da cidadania.

» A Instituição » Teclas de Atalho » Corregedoria-Geral
» Acessibilidade » Projetos » Controle Interno
» Concursos » Departamentos » Gestão Ambiental - MP Sustentável
» Legislação » Licitações » Links
» Lotacionograma » Notícias » Órgãos Auxiliares
» Planejamento Estratégico » Portal Transparência » Procuradorias de Justiça Especializadas
» Publicações DOE » Todos Contra as Drogas » Terceiro Setor

Procuradoria Geral de Justiça

Rua Quatro, s/nº

Centro Politico e Administrativo - Cuiabá/MT

CEP: 78049-921

Fone: (65) 3613-5100


Sede das Promotorias de Justiça da Capital

Av. Desembargador Milton Figueiredo Ferreira Mendes, s/nº

Setor D - Centro Politico e Administrativo - Cuiabá/MT

CEP: 78049-928

Fone: (65) 3611-0600

Horário de atendimento ao público externo e protocolo: 08h às 18h

Ministério Público do Estado de Mato Grosso - Procuradoria Geral de Justiça